Para utilizar las funcionalidades completas de este sitio es necesario tener JavaScript habilitado. Aquí están las instrucciones para habilitar JavaScript en tu navegador web.

Pecuária Regenerativa: Restauração do solo em Reserva de Conservação Torres del Paine

A pecuária na Patagônia chilena tem um forte legado histórico. Sustentou a economia da região por quase um século, promovendo a construção de fazendas, estradas e a oferta de rotas de navegação que permitiram não só entrar no território com mais eficiência, mas também melhorar sua conectividade posterior.

Todos esses anos de desenvolvimento da pecuária significaram erosão e descaso com o solo. Por isso, a Explora decidiu ser pioneira na região e implementar uma iniciativa que visa ajudar a preservar o território e recuperar o solo.

Esta nova iniciativa, baseada nos princípios da pecuária regenerativa, foi lançada em outubro na Reserva de Conservação Torres del Paine, localizada no setor nordeste do Parque Nacional de mesmo nome, cujo objetivo é promover uma gestão dos animais mais sustentável, promovendo seu trabalho de conservação, através da técnica de criação de cavalos com manejo regenerativo.

“Para a Explora, os cavalos são uma parte essencial da nossa proposta de valor e estamos convencidos de que a gestão responsável deles pode ter um impacto real tanto no meio ambiente quanto nas comunidades. Estamos trabalhando para quebrar o paradigma de que a propriedade animal e a conservação são antagônicas”, disse Nicolás Vial, Gerente de Reservas de Conservação da Explora.

No nosso objetivo de poder contribuir para a conservação dos territórios da região, temos convidado a comunidade e as autoridades locais a fazerem parte das palestras que lhes permitem conhecer esta técnica. Até outubro, mais de 70 pessoas locais participaram dos treinamentos e esperamos que mais pessoas participem até o final de 2022.

Para concretizar esta iniciativa, consultámos o especialista na área José Manuel Gortazar, que promove um modelo agroalimentar centrado numa produção sustentável e responsável. Além disso, estamos trabalhando para obter a certificação do Savory Institute, organização pioneira mundial em pecuária regenerativa.

“Quis fazer parte deste projeto porque fiquei entusiasmado por uma empresa de um setor totalmente diferente querer contribuir para mudar o panorama, desmantelar mitos e mostrar boas práticas para outras empresas em benefício do futuro que precisamos”, disse José Manuel Gortazar, consultor da Explora em métodos de agricultura regenerativa.

Gestão regenerativa de animais

Explora tem 30 cavalos na Reserva de Conservação Torres del Paine e em janeiro de 2022 iniciou a aplicação das primeiras técnicas regenerativas com o uso estratégico do pastoreio, que se traduz em mover os animais estrategicamente, respeitando os tempos da natureza e o crescimento das plantas. “A pecuária regenerativa contribui para a mitigação das mudanças climáticas porque revitaliza a captura do carbono graças a um melhor funcionamento do ecossistema. Os prédios que são manejadas com essa prática capturam mais carbono do que os que não são”, disse Gortazar.

O plano é elaborado em conjunto com a equipa das cavalariças e depende de fatores tão diversos como a qualidade do solo, número de animais, pessoal disponível, tipos e número de cercas ao redor, entre outros.

Um dos problemas do solo no Parque Nacional Torres del Paine é que em certas áreas há sobrepastoreio e, por outro lado, sobre descanso. “As plantas que resistiram ao sobrepastoreio cresceram e, como ninguém as comeu, por falta de herbívoros, elas morrem de sobre descanso. No processo, essas plantas ficam secas se oxidando lentamente, liberando carbono e sendo um super combustível para possíveis incêndios florestais. Também durante a decomposição, as plantas geram gás metano que contribui para os gases de efeito estufa”, explicou Romina Da Pieve, vice-gerente de Reservas de Conservação da Explora.

[class^="wpforms-"]
[class^="wpforms-"]