Manifesto do Explorador

Manifesto do explorador

Deixar sua casa – Desconecte-se, deixe de lado por um momento a sua história e a sua maneira habitual de ver as coisas. Quando não estamos presos as nossas próprias ideias e hábitos, podemos aprender e ganhar uma maior apreciação de tudo novamente.

Aproveite a viagem – Não fique obcecado com o destino final. Tente ser aberto para o imprevisível, o inesperado e acidental, e as coisas que acontecem ao longo do caminho. Aproveite as oportunidades. Mude seus planos.

Bagagens leves – O excesso de bagagem pesa sobre nós e nos impede de avançar. Distrai e interfere com a nossa relação com o meio ambiente. Leve o que é apropriado. Não faça muito esforço para proteger contra qualquer risco possível. Na maioria das vezes o que você perde em conforto ou segurança, ganha em liberdade.

Vá longe – Coisas extraordinárias acontecem aos limites do possível. Cada limite é o fim de algo e o começo de outro. Explore as fronteiras de seus próprios esforços e possibilidades.

Esqueça-se do tempo – Tente não planejar o início e o fim dos eventos. Fique à vontade. Aproveite a passagem natural do tempo, com a sucessão periódica de dia e de noite. Ao viajar, às vezes parece como se o tempo passa de forma diferente, às vezes depressa e às vezes devagar.

Caminhe – Sempre que puder caminhe. Ao andar você pode ver as coisas mais de perto e com mais cuidado. Caminhar é uma ação da qual a velocidade é natural e confortável. Dê um passo de cada vez.

Desvie-se do caminho – Muitas vezes as experiências mais valiosas são encontradas em caminhos menos percorridos. Os caminhos marcados são simplesmente aqueles por os que já viajaram outros. Teste-se para abrir um novo caminho. Seja ousado, descubra.

Vá para fora quando chove – As coisas são diferentes e se vêem diferentes de quando o sol brilha.

Faça perguntas – Saiba mais sobre as coisas que você vê ao longo do caminho; como e por que eles são como são. A curiosidade nos mantém alerta e em um estado de constante mudança.

Experimente novos sabores – A comida e bebida em cada lugar têm seus próprios sabores, aromas e cores. Às vezes, eles foram preparados a partir de receitas transmitidas de geração em geração. Teste-os. Dê-lhes uma chance de surpreendê-lo.

Não pare – O movimento nos mantém vivos e as novas experiências nos alimentam. Mova-se, não pare. Quando se muda para um lugar diferente, são abertas novas possibilidades.

Pare – As pausas são tão importantes como o movimento. Pare e respire profundamente. Olhe. Ouça. Faça uma pausa. Há momentos em que não há nada melhor do que uma sesta, a contemplação da paisagem ou ler um livro à sombra da uma árvore.

Converse com as pessoas – Há nada como uma conversa para conhecer outras pessoas. Converse com as pessoas locais. Fale sobre onde você e, partilhe os seus pensamentos e crenças. Ouça. Desafie os seus preconceitos.

Ouça histórias sobre o lugar – O presente é enriquecido e melhor compreendido por aprender sobre o passado. Ouvir histórias também pode ser surpreendente e divertido.

Proteja a natureza – Certifique-se de que a sua viagem através de cada lugar não deixe rastros para aqueles que virão depois de você. Cuide da natureza. Os lugares intocados são um tesouro cada vez mais escasso.