Casamento no fim do mundo - explora Patagonia
Noticias
fevereiro 12, 2016

Casamento no fim do mundo

14 de fevereiro de 2013. Lisa e Toby cavalgam através das pampas do Parque Nacional Torres del Paine. Os acompanha um dos gaúchos que trabalha no explora Patagônia. A brisa os despenteia e chove, mas eles não se importam. Os dois estão muito felizes e gostam de estar lá. “O pano de fundo é o mais incrível que você pode imaginar”, diz Toby para descrever a paisagem ao seu redor horas antes de se casar com Lisa.

Lisa Jordan e Toby Past são dois americanos. Eles se conheceram em 2003, quando ambos viveram em Atlanta e participaram da festa de um amigo em comum. Desde então, eles começaram a sair juntos e, lentamente, a se apaixonar.

Um dia, Toby pediu a sua namorada que fizesse uma lista de três lugares no mundo que não poderia deixar de visitar, e a Patagônia era o número um destino de ambos. Para o décimo aniversário de seu relacionamento, que coincide com a data do dia dos enamorados, finalmente decidiram viajar pelo mundo para se casar.

Percorrendo juntos

Eles chegaram ao explora Patagônia o 11 de fevereiro de 2013. Os dias antes da cerimônia tiveram algumas das melhores aventuras de suas vidas, escreve Toby em um blog criado para ir contando os detalhes da sua viagem.

Eles fizeram a caminhada pelo Valle Francês, onde eles descobriram o coração do maciço e o glaciar pingente do qual se desprendem enormes pedaços de gelo. Eles caminharam 9 quilômetros para chegar à base das Torres del Paine e mergulharam no Lago Pehoe a 3 ° C abaixo de zero. “Todas as excursões foram fantásticas e mergulhar nesse lago de origem glacial foi muito emocionante”, descreve com entusiasmo o viajante.

 

Toby and Lisa

Courtesia de Toby Past y Lisa Jordan.

O grande dia

“Nós tínhamos planejado ter uma cerimônia muito pequena e íntima, mas o rumor do nosso casamento se espalhou e cerca de 50 pessoas apareceram no dia em que nos casamos. Nós dois estávamos tão nervoso, mas tão felizes ao mesmo tempo. Os amigos que tínhamos feito nos dias anteriores foram muito amáveis conosco, especialmente Rosario- a anfitriã do explora Patagônia-que organizou tudo de maneira muito especial”.

Quando eles desceram as escadas que levam para o lugar onde eles realizam a cerimônia, eles pegaram fortes as suas mãos e tentaram conter as lágrimas que brotavam de felicidade. Eles ficaram em frente do juiz do Registro Civil, e aos minutos estavam brindando com champanhe na companhia do pessoal, os outros hóspedes e a melhor vista das Torres del Paine, Lago Pehoe e os Cuernos.

Romina Da Pieve, guia do explora Patagônia na época, lembra aquele dia como uma ocasião especial. “Não é algo que acontece todos os dias”, diz Romina a quem coube ser o tradutor do segundo casamento que teve lugar no hotel e que foi no ano passado.

Rosario Villagra, a anfitriã do hotel, lembra aquele dia com uma nostalgia especial. Foi a primeira vez que um casamento foi celebrado no explora Patagônia, e ela diz, que estavam com medo de que tudo iria bem. O casal queria se casar no cais, mas às cinco da tarde – a hora do casamento- mudou o clima e tiveram que improvisar. Eles colocaram uma mesa na frente da janela com vista para os chifres, decoraram com flores e velas o lugar e convidaram outros passageiros e ao pessoal. “Foi muito bonito e emotivo. Eu fui a madrinha de Lisa e um de nossos guias, o padrinho de Toby”, diz Rosario.

Tanto ela como o americano concorda que o casamento foi um sucesso. “Este ano celebramos três anos de casamento, e não podemos esperar para voltar ao explora para celebrar algum de nossos aniversários”, disse Toby.

 

 

Subscreva a explora News. Receba nossas notícias todos os meses.