Para utilizar las funcionalidades completas de este sitio es necesario tener JavaScript habilitado. Aquí están las instrucciones para habilitar JavaScript en tu navegador web.

Reserva de Conservação Explora Torres del Paine

No lado nordeste do Parque Nacional Torres del Paine, estas duas estâncias patagônicas são verdadeiras expressões da riqueza patagônica. Eles contêm diferentes ecossistemas, como a floresta de Magalhães, matagais pré-andinos, estepes e desertos da Patagônia. Dois rios desembocam nas estâncias, junto com pântanos, lagoas e outros corpos d'água. O terreno é o lar dos gaúchos patagônicos, que continuam praticando suas antigas tradições no dia a dia e recebem o visitante com a hospitalidade natural de uma região limitada pela distância e pela solidão.

Nas últimas décadas, nosso engajamento e compreensão da Patagônia reforçaram nosso cuidado com o território e com as pessoas que o habitam e o visitam. Suas paisagens milenares excepcionais, ecossistemas únicos e tradições locais são um patrimônio mundial que somente a conservação sustentável preservará para as gerações presentes e futuras.

Em 2019, começamos nossa jornada pela reserva realizando um estudo abrangente da Flora e Fauna, que entregou um mapa detalhado das espécies locais: cerca de 130 tipos de plantas, 50 tipos de pássaros e 15 espécies de mamíferos, incluindo emas de Darwin, flamingos, condores , Tatus, Guanacos e Pumas. Para esta última espécie icônica, instalamos câmeras de armadilha em nossas terras protegidas para entender melhor sua presença e comportamento na área. Os gaúchos residentes em nossas estâncias verificam periodicamente as câmeras em busca de novas descobertas.

LOCALIZAÇÃO

Localizada no lado nordeste do Parque Nacional Torres del Paine, esta Reserva de Conservação Explora é uma verdadeira expressão da riqueza patagônica. Ela contém diferentes ecossistemas como a floresta de Magalhães, matagais pré-andinos, estepes e desertos patagônicos. Entre os Chifres Paine e a Serra Baguales, esta é a única área da região onde se podem avistar ambas as paisagens icônicas ao mesmo tempo, ao mesmo tempo que representam alguns dos elementos mais simbólicos do canto sul do planeta. O rio Zamora e o rio Las Chinas atravessam as estâncias, junto com pântanos, lagoas e outros corpos d’água. O terreno abriga grande variedade de animais, pássaros e diversas espécies endêmicas que tornam este território rico em biodiversidade e ótimo para exploração.

6.000

Hectares

Território total que será legalmente protegido pela RDC (derecho real de conservación) para que possa ser conservado perpetuamente.

32%

Floresta

Porcentagem total da terra que é floresta, desta, 19% é mata nativa composta por Lenga e Ñirre

131

Espécies de Flora

95 dessas espécies são nativas, tornando 96% da flora da Reserva endêmica da região.

40

Espécies de Fauna

A reserva abriga 40 espécies, entre as quais se destacam o Puma e 33 tipos de aves, entre elas o Flamingo Chileno e a Perdiz Meridional.

SOBRE NOSSA RESERVA DE CONSERVAÇÃO

No espírito de uma fazenda tradicional, a Reserva oferece uma oportunidade única para explorar e conservar a essência da Patagônia. Estarão disponíveis explorações guiadas, trilhas autoguiadas e passeios a cavalo na companhia dos gaúchos, bem como um “Casco” da Reserva contendo uma Guest House e Centro de Conservação, entre outras instalações. É ser um espaço de vida onde proprietários, viajantes, visitantes, guarda-parques, guias, pesquisadores e voluntários possam apoiar e participar de uma ampla gama de experiências de exploração e conservação.

  • Como a filantropia geralmente desaparece no longo prazo, começamos um empreendimento que une as virtudes da empresa e do compromisso sem fins lucrativos. O design nos permite expandir e acelerar a conservação, bem como projetá-la para sempre.

    O território das reservas retém 95% de sua área apenas para exploração e conservação, enquanto os 5% restantes estão sujeitos a empreendimentos que incluem turismo, imóveis, pesquisa e educação. No espírito de uma tradicional Fazenda, o Casco da Reserva reúne serviços e atividades. Construída com materiais nobres e técnicas tradicionais, a The Guest House oferece acomodação para os proprietários, comida caseira e ingredientes locais. O Hull também inclui um projeto de Centro de Conservação para ser um ponto de encontro para guarda-parques, guias, voluntários, proprietários, viajantes e pesquisadores. É o mento ser um espaço de vida onde os visitantes podem aprender sobre a natureza, história, exploração e projetos de conservação - e seus resultados. Do Hull, uma ampla gama de explorações estará disponível: ambas conduzidas por nossos guias com seu treinamento e conhecimento distintos, juntamente com trilhas autoguiadas com conteúdo de exploração e conservação apoiado por tecnologia. Além disso, como a tradição gaúcha está viva na Reserva, as explorações a cavalo em sua companhia são testemunhos vivos do modo de vida local.
    Convidamos você a fazer parte de nossas Reservas, onde poderá participar como proprietário, viajante, pesquisador, visitante, voluntário ou estagiário. Convidamos todos vocês, para explorar e conservar o mundo único.

    our project torres del paine explora conservation reserve
  • Localizada próximo ao extremo nordeste do Parque Nacional Torres del Paine, a Reserva de Conservação Torres del Paine é um terreno majestoso no coração da Patagônia.

    Entre os Chifres Paine e a Serra Baguales, esta é a única área da região onde se podem avistar ambas as paisagens icônicas ao mesmo tempo, ao mesmo tempo que representam alguns dos elementos mais simbólicos do canto sul do planeta. Este vale está situado em um estágio geológico com vistas e pontos turísticos de qualquer ponto que você estiver. Dependendo da época do ano, muitas áreas úmidas se formam na área do vale. Há também a Lagoa do Jara, grande corpo d'água no coração da reserva, onde normalmente é possível avistar animais selvagens, principalmente pássaros residentes. O rio Rio de las Chinas, que nasce na Cordilheira dos Andes, dá vida a um braço conhecido localmente como Rio Zamora, que atravessa toda a reserva e define a paisagem. A estepe é uma característica marcante da paisagem da Patagônia, e a Reserva de Conservação Torres del Paine Explora não é exceção. Durante décadas, esta região viu o desenvolvimento da pecuária dentro das comunidades, onde os gaúchos e tratadores de animais viajaram sem parar por essas vastas áreas. Montanhas ladeiam parte da estepe para então dar lugar ao que é conhecido localmente como "La Vega": um grande pedaço de terra, fértil o suficiente para ter grama o ano todo, especialmente em um ano chuvoso. Esta área, durante décadas utilizada para pastagem e manejo de gado, parou tais atividades para encaminhar nosso propósito de conservação.

    Geography Torres del paine explora Conservation reserve
  • Nesta reserva de mais de 6000 hectares, encontram-se as florestas profundas de Lenga (Nothofagus pumilio) e Ñire (Nothofagus Antartica).

    Os fortes ventos moldaram essas árvores endêmicas, contando uma história sobre o terreno, que também apresenta uma vasta paisagem de estepe. Você pode apreciar a passagem do tempo no campo. Algumas áreas onde o vento sopra impiedosamente são quase áridas, enquanto outras prosperam e podem dar vida a florestas e vegetação arbustiva. A altitude e a proximidade com cadeias montanhosas na fronteira com a Argentina, conferem à reserva uma vantagem ímpar na proteção da biodiversidade. Uma parte distinta da paisagem de vegetação é o neneo (Anarthrophyllum desideratum), um arbusto endêmico em forma de bola, que pode resistir a condições climáticas extremas e vento direto. Esses arbustos, junto com as lengas e a grama, mudam de cor e transformam essa área em um estágio vermelho e amarelo. Alguns dizem que é a época mais bonita do ano para se visitar. Muitas espécies da fauna local, especialmente pássaros, podem ser encontradas aqui. Mais de cem espécies de aves residentes foram identificadas, tornando esta reserva uma das mais ricas em biodiversidade do seu tipo. Nos pântanos e na Lagoa de Jara, é possível avistar muitas espécies de pássaros residentes, como flamingos, patos e outras espécies locais como bandurrias e ñandues (avestruzes locais). Outras espécies comuns na região, que prosperam nesta área, são os guanacos, um camelo local presente em toda a região andina, que pode sobreviver em diferentes condições geográficas.

    Biodiversity torres del paine Explora conservation reserve
  • Durante séculos, esta área foi habitada pelo povo Tehuelche, especificamente a tribo Aonikenk. Hoje, a Patagônia é o lar dos gaúchos e de sua cultura única.

    Após a chegada dos colonos europeus em meados do século 19, eventos infelizes sucessivos erradicaram os Aonikenks e outras tribos locais. Hoje, há um reconhecimento crescente de que foram maltratados e abusados. Como os arqueólogos encontraram artefatos como flechas de pedra, que indicam que esta era uma terra privilegiada para a caça de guanacos e ñandúes; achamos que podemos pesquisar com mais profundidade sobre a presença Tehuelche na reserva em esforços de conservação futuros.
    Outro aspecto da influência europeia na área é a introdução do cavalo. A cavalgada tornou-se fundamental na área, e o próprio cavalo tornou-se até um elemento essencial na dieta dos moradores. No início do século 20, as primeiras formas de turismo e investigação começaram nesta área. Lady Florence Dixie, escritora escocesa e ícone feminista, foi pioneira em documentar o campo e desempenhou um papel essencial na divulgação da Patagônia para o resto do mundo. Por meio de suas descobertas e ilustrações, podemos afirmar que a reserva fez parte de suas viagens.
    Ao longo do século passado, esta área foi o lar de gaúchos e seus rebanhos e cavalos. Eles desenvolveram uma cultura única de manejo de cavalos e gado que teve grande influência no estilo de vida da região, uma cultura alimentada por tradições ancestrais dos colonizadores europeus e pelo icônico território da Patagônia. De muitas maneiras, os gaúchos e seu estilo de vida abriram caminho para o turismo sustentável na região. Essa atividade voltada para os animais faz parte da identidade da região há muito tempo. Nos deu uma cultura local que mistura características históricas e, ao contrário de muitas outras culturas, ainda está viva hoje. O Explora teve o cuidado de preservar esta cultura, convidando os membros da comunidade a participar da exploração e conservação desta área por meio de sua valiosa experiência.

    Culture Torres del Paine Conservation Reserve

Como a filantropia geralmente desaparece no longo prazo, começamos um empreendimento que une as virtudes da empresa e do compromisso sem fins lucrativos. O design nos permite expandir e acelerar a conservação, bem como projetá-la para sempre.

O território das reservas retém 95% de sua área apenas para exploração e conservação, enquanto os 5% restantes estão sujeitos a empreendimentos que incluem turismo, imóveis, pesquisa e educação. No espírito de uma tradicional Fazenda, o Casco da Reserva reúne serviços e atividades. Construída com materiais nobres e técnicas tradicionais, a The Guest House oferece acomodação para os proprietários, comida caseira e ingredientes locais. O Hull também inclui um projeto de Centro de Conservação para ser um ponto de encontro para guarda-parques, guias, voluntários, proprietários, viajantes e pesquisadores. É o mento ser um espaço de vida onde os visitantes podem aprender sobre a natureza, história, exploração e projetos de conservação - e seus resultados. Do Hull, uma ampla gama de explorações estará disponível: ambas conduzidas por nossos guias com seu treinamento e conhecimento distintos, juntamente com trilhas autoguiadas com conteúdo de exploração e conservação apoiado por tecnologia. Além disso, como a tradição gaúcha está viva na Reserva, as explorações a cavalo em sua companhia são testemunhos vivos do modo de vida local.
Convidamos você a fazer parte de nossas Reservas, onde poderá participar como proprietário, viajante, pesquisador, visitante, voluntário ou estagiário. Convidamos todos vocês, para explorar e conservar o mundo único.

our project torres del paine explora conservation reserve

Localizada próximo ao extremo nordeste do Parque Nacional Torres del Paine, a Reserva de Conservação Torres del Paine é um terreno majestoso no coração da Patagônia.

Entre os Chifres Paine e a Serra Baguales, esta é a única área da região onde se podem avistar ambas as paisagens icônicas ao mesmo tempo, ao mesmo tempo que representam alguns dos elementos mais simbólicos do canto sul do planeta. Este vale está situado em um estágio geológico com vistas e pontos turísticos de qualquer ponto que você estiver. Dependendo da época do ano, muitas áreas úmidas se formam na área do vale. Há também a Lagoa do Jara, grande corpo d'água no coração da reserva, onde normalmente é possível avistar animais selvagens, principalmente pássaros residentes. O rio Rio de las Chinas, que nasce na Cordilheira dos Andes, dá vida a um braço conhecido localmente como Rio Zamora, que atravessa toda a reserva e define a paisagem. A estepe é uma característica marcante da paisagem da Patagônia, e a Reserva de Conservação Torres del Paine Explora não é exceção. Durante décadas, esta região viu o desenvolvimento da pecuária dentro das comunidades, onde os gaúchos e tratadores de animais viajaram sem parar por essas vastas áreas. Montanhas ladeiam parte da estepe para então dar lugar ao que é conhecido localmente como "La Vega": um grande pedaço de terra, fértil o suficiente para ter grama o ano todo, especialmente em um ano chuvoso. Esta área, durante décadas utilizada para pastagem e manejo de gado, parou tais atividades para encaminhar nosso propósito de conservação.

Geography Torres del paine explora Conservation reserve

Nesta reserva de mais de 6000 hectares, encontram-se as florestas profundas de Lenga (Nothofagus pumilio) e Ñire (Nothofagus Antartica).

Os fortes ventos moldaram essas árvores endêmicas, contando uma história sobre o terreno, que também apresenta uma vasta paisagem de estepe. Você pode apreciar a passagem do tempo no campo. Algumas áreas onde o vento sopra impiedosamente são quase áridas, enquanto outras prosperam e podem dar vida a florestas e vegetação arbustiva. A altitude e a proximidade com cadeias montanhosas na fronteira com a Argentina, conferem à reserva uma vantagem ímpar na proteção da biodiversidade. Uma parte distinta da paisagem de vegetação é o neneo (Anarthrophyllum desideratum), um arbusto endêmico em forma de bola, que pode resistir a condições climáticas extremas e vento direto. Esses arbustos, junto com as lengas e a grama, mudam de cor e transformam essa área em um estágio vermelho e amarelo. Alguns dizem que é a época mais bonita do ano para se visitar. Muitas espécies da fauna local, especialmente pássaros, podem ser encontradas aqui. Mais de cem espécies de aves residentes foram identificadas, tornando esta reserva uma das mais ricas em biodiversidade do seu tipo. Nos pântanos e na Lagoa de Jara, é possível avistar muitas espécies de pássaros residentes, como flamingos, patos e outras espécies locais como bandurrias e ñandues (avestruzes locais). Outras espécies comuns na região, que prosperam nesta área, são os guanacos, um camelo local presente em toda a região andina, que pode sobreviver em diferentes condições geográficas.

Biodiversity torres del paine Explora conservation reserve

Durante séculos, esta área foi habitada pelo povo Tehuelche, especificamente a tribo Aonikenk. Hoje, a Patagônia é o lar dos gaúchos e de sua cultura única.

Após a chegada dos colonos europeus em meados do século 19, eventos infelizes sucessivos erradicaram os Aonikenks e outras tribos locais. Hoje, há um reconhecimento crescente de que foram maltratados e abusados. Como os arqueólogos encontraram artefatos como flechas de pedra, que indicam que esta era uma terra privilegiada para a caça de guanacos e ñandúes; achamos que podemos pesquisar com mais profundidade sobre a presença Tehuelche na reserva em esforços de conservação futuros.
Outro aspecto da influência europeia na área é a introdução do cavalo. A cavalgada tornou-se fundamental na área, e o próprio cavalo tornou-se até um elemento essencial na dieta dos moradores. No início do século 20, as primeiras formas de turismo e investigação começaram nesta área. Lady Florence Dixie, escritora escocesa e ícone feminista, foi pioneira em documentar o campo e desempenhou um papel essencial na divulgação da Patagônia para o resto do mundo. Por meio de suas descobertas e ilustrações, podemos afirmar que a reserva fez parte de suas viagens.
Ao longo do século passado, esta área foi o lar de gaúchos e seus rebanhos e cavalos. Eles desenvolveram uma cultura única de manejo de cavalos e gado que teve grande influência no estilo de vida da região, uma cultura alimentada por tradições ancestrais dos colonizadores europeus e pelo icônico território da Patagônia. De muitas maneiras, os gaúchos e seu estilo de vida abriram caminho para o turismo sustentável na região. Essa atividade voltada para os animais faz parte da identidade da região há muito tempo. Nos deu uma cultura local que mistura características históricas e, ao contrário de muitas outras culturas, ainda está viva hoje. O Explora teve o cuidado de preservar esta cultura, convidando os membros da comunidade a participar da exploração e conservação desta área por meio de sua valiosa experiência.

Culture Torres del Paine Conservation Reserve

OUR RESERVES

Learn More

Our reserves Explora Conservation

Our reserves

Inspired by its care and understanding of South America's remote regions, Explora reinforces its commitment to our natural and human heritage through its Conservation Reserves initiative.

Discover More >

About Us

We embraced the compromise inherent to the knowledge we bear: the responsibility to conserve the territories we explore.

Learn More >
ABOUT US TORRES DEL PAINE CONSERVATION RESERVE